Subestação e Transmissão

As subestações elevadoras permitem o aumento da tensão gerada. Visando diminuir a corrente e consequentemente a espessura dos condutores e as perdas. Esta atividade é comumente utilizada para facilitar o transporte da energia, diminuição das perdas do sistema e melhorias no processo de isolamento dos condutores.
A tensão nominal de um gerador pode variar em função de sua potência. Assim, podemos ter geradores de baixa tensão, como 220[V], 440[V], 660[V] e geradores de média tensão, como 2,2[KV], 4,6[KV] e 13,8[KV], por exemplo. A vantagem de utilizar tensões maiores é o fato de as correntes diminuírem e assim, poder usar condutores de menor diâmetro, economizando espaço e diminuindo o tamanho dos geradores. O valor máximo de tensão de geração está limitado em torno de 13,8[KV], visto que para tensões superiores a esta a espessura do isolamento começa a ficar muito grande, anulando a economia conseguida com a redução do diâmetro dos condutores.
Quando a potência gerada é pequena e a carga se localiza próxima do gerador, é possível gerar em baixa tensão e alimentar as cargas diretamente a partir do gerador. Quando a potência gerada é maior, e quando a distância entre as cargas é grande, é necessário diminuir ao máximo a corrente, para que possamos utilizar condutores mais finos. Geralmente, as linhas utilizadas são aéreas, nas quais não há grandes problemas de isolação, e a redução do diâmetro e do peso dos condutores implica em uma grande economia nas estruturas de suporte. Além disso, as perdas nas linhas de transmissão são proporcionais ao quadrado da corrente e assim, quanto menor for a corrente menor será a perda.